Você talvez não saiba, mas o Atlético Paranaense e o Coritiba entraram para a história

Pode parecer estranho eu escrever sobre futebol. Mas acho que o assunto é mais que futebol, é sobre mudança. E uma daquelas que a gente talvez sinta que presenciou História, sabe? Mesmo que seja numa coisa boba, como por exemplo, futebol.

Ouço sempre que futebol não é só um esporte. De vários amigos, de conhecidos, e certamente a essa altura alguém já usou isso como marketing. Basta lembrar de toda a comoção ocorrida com a tragédia que aconteceu com a Chapecoense. E talvez, no início da noite de ontem, pode ter acontecido algo que venha ser mais um argumento para sustentar a fama do esporte que não é só esporte.

Mas antes, vamos a alguns fatos: dado que estamos em 2017, você já deve ter notado que as Organizações Globo são donas de todas as transmissões esportivas no Brasil. Se você acompanha futebol, certamente acha que o que acabei de falar é chover no molhado. Desde que futebol é futebol no Brasil, a Globo manda e desmanda, desde escolher os horários das partidas (como ocorre nas quartas-feiras, no ridículo horário das 21h30) até deixar de passar jogos por motivos de novela. A Band, coitada, sempre faz o que pode, mas nanica como é, se limita a ser parceira da Globo. Isso, claro, quando é possível, já que deixou de exibir o Brasileirão por falta de patrocinadores, por motivos óbvios, já que eles podem patrocinar na Globo.

Ler o post completo

Não perca nenhum post

Receba todo o conteúdo do blog, além de algumas surpresas especiais. Você vai receber no máximo 2 e-mails por semana.

Odeio spam tanto quanto você. Você pode sair da lista quando quiser. Powered by ConvertKit

Servidor (ridiculamente simples) em Node para arquivos estáticos

Hoje em dia iniciar um projeto em JS é quase um casamento seu com suas ferramentas, no qual você tem que passar alguns bons minutos (ou horas) pra configurar tudo e deixar tudo perfeitinho.

A vantagem disso é que teoricamente você só vai precisar fazer esse trabalho uma vez; porém nem sempre a gente quer, ou precisa, ter esse trabalho. Um dos melhores amigos de quem trabalha com conteúdo estático é o SimpleHTTPServer do Python, que nos permite levantar um servidor HTTP com uma facilidade absurda, além da sua grande vantagem de já estar pré-instalado virtualmente em qualquer máquina com um sistema UNIX.

Ler o post completo

Saiu o Angular 4 beta 0. E tá tudo bem.

Ou “Como Não Se Desesperar Com Um Versionamento Mal Feito”

Esmerilhadeira Angular 4. 1/2″ 720W Gws 7–115 Bosch — 127 Volts

O Angular atualmente é o Lula dos frameworks de JavaScript. E nem é por questão ideológica, ou algo do gênero, mas repare, é por Angular 2 no título que é clique & polêmica. Poderia aumentar o paralelo: o Angular já foi muito idolatrado, agora nem tanto. Tem gente que acha que morreu (ou que vai ser preso amanhã), e tem seguidores fervorosos até o dia de hoje.

O que política tem a ver com versionamento? Isso mesmo, nada.

Ler o post completo

As novidades do Firebase Summit

Ontem aconteceu em Berlim o Firebase Dev Summit. Depois de seis meses do Google I/O ter rolado — e o I/O foi totalmente sobre o Firebase — chegou a hora de mostrar os próximos passos da plataforma.

Como todo bom evento sobre produto, ele joga uns números impressionantes na sua cara: desde o lançamento da versão 3.0, no I/O, mais de 750 mil projetos foram criados no Firebase, Kakaroto.

Com amor, para os Apps

O Firebase Crash Reporting saiu do beta e agora está totalmente integrado com o Firebase Analytics. A partir de agora, quando seu app der um crash, todas as tags e conteúdos armazenados via analytics serão enviados ao Firebase e estarão disponíveis no seu console para você analisar os dados e entender, em detalhes, o que o seu usuário estava fazendo e qual o motivo daquele crash ter acontecido.

Além disso, para Android, o Firebase Test Lab agora está disponível no tier gratuito do Firebase. Você pode usa-lo com 5 testes em devices físicos/dia e 10 testes em devices físicos/dia sem pagar absolutamente nada. O Test Lab permite executar e analisar testes feitos com o Espresso e o Robotium (entre outros) e ver os resultados direto no seu Console. Também foram disponibilizados modelos de smartphones Android mais atuais no painel.

Ler o post completo

Como é programar em JavaScript em 2016

Esse artigo é uma tradução totalmente livre e adaptada de “How it feels to learn Javascript in 2016”, publicada na Hackernoon. Provavelmente nenhuma nova biblioteca foi criada enquanto esse artigo estava sendo escrito. Ou não.

Era uma terça-feira e chovia muito. Numa conversa entre dois amigos, um desenvolvedor frontend e um backend…

Man, seguinte, eu peguei um freela aí de um projetinho web pra dar uma ajuda nas finanças, sabe como é…

A crise tá foda, né?

Então… Mas como você sabe, faz um bom tempo que eu não mexo com web e ouvi muito sobre as mudanças que rolaram nos últimos tempos. Tô ligado que você manja muito do rolê de ser webdesigner, né?

O termo atual é “Engenheiro Front End” mas sim, é isso mesmo. Mudou bastante. Dá pra fazer tudo com JavaScript, acabei de voltar da BrazilJS e, cara, nunca me senti tão bem em conhecer o que há de mais novo na web. Dá pra fazer de players de música com aqueles visualizers foda e até controlar drones. A gente consegue fazer o que a gente quiser com JS, o céu é o limite.

Ler o post completo

Pin It on Pinterest