[≡]
🕑 5 min

As novidades do Firebase Summit

Ontem aconteceu em Berlim o Firebase Dev Summit. Depois de seis meses do Google I/O ter rolado — e o I/O foi totalmente sobre o Firebase — chegou a hora de mostrar os próximos passos da plataforma.

Como todo bom evento sobre produto, ele joga uns números impressionantes na sua cara: desde o lançamento da versão 3.0, no I/O, mais de 750 mil projetos foram criados no Firebase, Kakaroto.

Com amor, para os Apps

O Firebase Crash Reporting saiu do beta e agora está totalmente integrado com o Firebase Analytics. A partir de agora, quando seu app der um crash, todas as tags e conteúdos armazenados via analytics serão enviados ao Firebase e estarão disponíveis no seu console para você analisar os dados e entender, em detalhes, o que o seu usuário estava fazendo e qual o motivo daquele crash ter acontecido.

Além disso, para Android, o Firebase Test Lab agora está disponível no tier gratuito do Firebase. Você pode usa-lo com 5 testes em devices físicos/dia e 10 testes em devices físicos/dia sem pagar absolutamente nada. O Test Lab permite executar e analisar testes feitos com o Espresso e o Robotium (entre outros) e ver os resultados direto no seu Console. Também foram disponibilizados modelos de smartphones Android mais atuais no painel.

Além disso, o Firebase Analytics agora oferece informações em tempo real (nada mais apropriado) da utilização do seu app, bem como exportar tudo isso para BigQuery (sim, em tempo real!). O Analytics também ficou mais esperto: ele consegue indentificar algumas nuances mais profundas agora: por exemplo, quando você usa um Dynamic Link dentro do Facebook, o Analytics consegue indentificar isso e organizar esses dados pra você. Você sabe agora o que seu usuário faz, de onde vem e — praticamente — para onde ele vai no seu app.

Se o login já era fácil, imagina agora

O Firebase Auth tenta ser o sistema mais simples possível para autenticar os usuários. Ele permite login via OAuth com Google, Facebook, Twitter, Github, E-mail e — o melhor — anonimamente.

A API já era um amorzinho. Mas as pessoas lá acharam pouco: saiu a versão 1.0 do Firebase-UI. Ele é um projetíneo que já entrega pra você o front-end pronto pra todas essas redes, totalmente conectado com a API do Firebase. Ele está disponível para Android, iOS e Web.

Só falta daqui a pouco o Firebase vai fazer sozinho direto no Google Play, vai ser só subir o APK. Isso de programar é sem futuro.

https://twitter.com/tasomaniac/status/795616656940736512

SDKs novos e atualizados

Você que faz joguetes, saiu SDK nativo do Firebase pra Unity! Analytics, o Banco de Dados, Autenticação, Dynamic Links, Remote Config, Notificações. Tá tudo disponível. Surpreendentemente.

De tabela, você que curte escovar uns bits, também rolou update do SDK nativo para C++. Sim, tem um. Um novo mundo de possibilidades, não é mesmo? A principal novidade é o suporte a banco de dados em realtime. Sim. Em C++. Tenho até medo.

Não ligado diretamente ao Summit, mas aproveitando o incejo, o AngularFire está quase na versão final. Não conta pra ninguém que eu te contei. Se você já está trabalhando com Angular 2, corre.

Por fim, também saiu o update pra algo que você talvez não saiba que o Firebase tem, o Admin SDK. Com versões pra Node e Java, ele permite você estruturar uma área de Admin para sua aplicação, toda personalizada do seu jeitinho. O Console do Firebase é ótimo — mas pra quem é Dev. Se você quer que um humano entenda (e gerencie) nada como um Dashboard personalizado. Vai fazer o teu.

Comunidade

Um Summit é muito bom pra aproximar os desenvolvedores que aplicam um produto com os desenvolvedores que criam o produto. Mas não é todo mundo que pode ir direto pra Berlim trocar uma ideia ou participar dos codelabs.

Se você quiser se aprofundar mais no Firebase, no Summit foi lançado em parceria com a Udacity o “Firebase in a Weekend” para iOS e Android. Sim, de graça também.

Outro lugar top pra você interagir com os developers, entra no Slack e segue o Twitter do Firebase.

Além disso, visite o Canal do YouTube do Firebase. Lá estão a gravação de todas as palestras do Summit, mais especificamente nessa playlist aqui.

Conteúdo é o que não falta (: